,

,

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

SEM TÍTULO III


.
Tudo o que se ilumina se desfaz.
,
Só a água perdura
no seio do mar
.
como as palavras ditas
por dentro das palavras.

em "POEMETOS", livro II
em preparação


72 comentários:

  1. " Só a água perdura
    no seio do mar..."
    Um Poema pequenino , mas muito bonito!

    ResponderEliminar
  2. A filosofia das palavras no sentido do entendimento que que elas nos dão ou que pretendem transmitir o que sentimos.

    ResponderEliminar
  3. Palavras que você diz, versos que você cria... Iluminam e adentram. Ao, poeta amigo, um grande abraço.

    ResponderEliminar
  4. Divino. No seio do mar, nas faces de algo invisível... Grande abraço!

    ResponderEliminar
  5. Então as palavras perduram. Bem me parecia.
    É que há quem diga que o vento as leva...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. Excelente, Vieira...tem toda razão, essa das palavras ditas dentro das palavras foi ótima!

    []s

    ResponderEliminar
  7. e a luz que se desfaz no profundo das águas,
    desperta-me o sentido do tato..
    toco em suas palavras,
    e descubro que há vida
    mesmo na escuridão..

    bjs.Sol

    ResponderEliminar
  8. E assim o texto brota, junto com um oceano de palavras e suas emoções.

    Rebeca

    -

    ResponderEliminar
  9. Meu querido Poeta
    As palavras que se dizem, nunca serão apagadas...como o mar...perdurarão.

    Beijinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  10. Palavras que fazem todo o sentido...abraços,chica

    ResponderEliminar
  11. Olá amigo, gostei do texto...Espectacular....
    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Caro poeta
    Gosto muito destes pequenos poemas que, no fundo, dizem muito, dizem tudo.
    O outro "Poema aos condenados" é fantástico. Muito visual. Também me agrada "ver" os poemas.
    Grande abraço.
    Isabel

    ResponderEliminar
  13. tanto significado em tao poucas palavras.

    eco

    ResponderEliminar
  14. Denso, equilibrado e portador de uma grande verdade!
    Beijo

    ResponderEliminar
  15. O sentido oculto das verdades... um bom caminho para os poemas.

    Abraços.

    PAZ e LUZ

    ResponderEliminar
  16. ´Quanta verdade escondida dentro dessas palavras!
    E não precisamos de muitas para revelarmos o que queremos.
    Vieira, um abraço meu de agradecimento e de alegria ao recebê-lo aqui com suaq poesia.

    ResponderEliminar
  17. É por isso que prefeiro por vezes andar as cegas!

    ResponderEliminar
  18. Poeta Vieira Calado,

    A beleza dos versos e a interessante constatação é tanta que não ouso comentar... Parabéns e obrigada.


    Beijos com carinho

    ResponderEliminar
  19. Mesmo que transborde e torne ao seio do mar... Provocando a leitura subjacente de uma natureza mutante...

    ResponderEliminar
  20. Querido...suas palavras fluíram divinamente...adorei...
    Doce dia...beijinhos
    Valéria

    ResponderEliminar
  21. ADOREI!!!

    Tanto em tão pouco... e tão Belo e Profundo!

    Parabéns Poeta!

    Um beijo,
    Margusta

    ResponderEliminar
  22. As palavras nunca, mas nunca, se desfazem.

    ResponderEliminar
  23. Mas as palavras ditas por dentro das palavras...essas, permanecerão!
    Beijo
    Graça

    ResponderEliminar
  24. Olá, querido poeta!
    Palavras, versos, mar... são infinito e coração...
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.
    Brasil
    ♥♥ °º
    ° ·.

    ResponderEliminar
  25. Lindo e profundo.Como sempre, um prazer estar aqui e refletir suas palavras.
    bjs de cá.

    ResponderEliminar
  26. As palavras ditas jamais voltam para trás.

    Bjinhs

    ResponderEliminar
  27. Também gostava de saber "brincar assim com as palavras"; resta-me a opção de apreciar!

    ResponderEliminar
  28. Mas há palavras que nos são ditas que não esquecemos, jamais.

    BeijooO*

    ResponderEliminar
  29. palavras que se vestem de palavras...
    para que nunca a alma do poeta arrefeça...
    brisas doces para si*

    ResponderEliminar
  30. Vieira,
    adoro seus textos, mas essa cor de fonte é muito difícil de enxergar... acaba com o prazer da leitura.
    abraço

    ResponderEliminar
  31. Amigo

    MARAVILHOSO
    O QUE ESCREVE!!!
    PARABÉNS.

    É assim...
    ando muito desanimada com o mundo que me rodeia; já pensei seriamente em "bloquear" os comentários nos meus 2 blogues, precisamente por coisas que as pessoas dizem sem pensar!!!
    Mas...depois,
    ficaria triste por não receber palavras simpáticas que algumas pessoas lá escrevem.

    O problema principal da vida do ser humano é a falta de saúde!
    É por isso que vou aproveitando, enquanto a saúde me permite, fazer o que mais gosto, pode ser ir ao cinema ou viajar.
    Acredite que "viajo" todos os dias, mesmo sentada no autocarro, de olhos fechados, a caminho do trabalho e no regresso a casa, passam na minha retina momentos maravilhosos que já passei nas minhas viagens.
    Acredito que é isso que me vai mantendo "Viva"!

    Tempo felizmente não me falta, faço a gestão do tempo de forma a ter algum para mim.

    Beijos.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  32. Soberbo!!!

    "Tudo o que se ilumina se desfaz"...a finitude das coisas, só a palavra dentro da palavra perdura.

    Lindo, poeta.

    Um beijo

    Boa semana

    ResponderEliminar
  33. Não é preciso muitas palavras para mostar o quanto elas são repletas de verdades....

    Gostei
    bjito da gota

    ResponderEliminar
  34. Lindo, Vieira!

    A mais pura verdade em forma de poema!

    Beijos, poeta!

    Mirze

    ResponderEliminar
  35. Num curto poema a sabedoria de brincar com as palavras.As palavras ditas perduram dentro do seio das próprias palavras...

    Poeta a sério brinca com as palavras com a mesma destreza com que se joga berlindes...

    Beijinho e...até um destes dias

    ResponderEliminar
  36. Divinal.Isto é saber usar as palavras com mestria.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  37. Poeta,só a água perdura para matar a sede dos poetas como você.Beijinhos.

    ResponderEliminar
  38. As palavras que não são ditas
    mas sentidas dentro das palavras
    são as que mais iluminam o sentido
    daquilo que é, e não foi ouvido...

    Bom domingo, poeta
    beijinhos

    ResponderEliminar
  39. Poema pequeno e tão verdadeiro.
    Conteúdo forte.
    Minha viagem foi boa sim,graças a Deus.
    Beijo grande.

    ResponderEliminar
  40. .

    .

    "A água é o veículo da natureza."

    [Leonardo da Vinci]

    .

    . um bom.domingo .

    .

    . um abraço .

    .

    .

    ResponderEliminar
  41. Algumas palavras que acabam por serem uma bela poesia.
    Beijinhos
    Verdinha

    ResponderEliminar
  42. Assim somos, em essência.

    Um beijinho, Vieira Calado

    ResponderEliminar
  43. Amar um mar de palavras...Assim como o amor, a água perdura. Seu poema também.

    Beijão

    ResponderEliminar
  44. como sempre o poeta arrasa!
    gosto gosto
    palavras ditas palavras iluminadas
    abraços

    ResponderEliminar
  45. Contextualização do dito e do escrito
    O significado
    o significante.

    (Nunca o "insigne_ficante", como muitas vezes Jorge de Sena foi forçado a relembrar)

    Um abraço

    ResponderEliminar
  46. moto perpétuo, palavras dentro de palavras, sempre retornam à superfície!
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  47. Caro Poeta
    Recebi uma mensagem da nossa comum amiga Valquíria Calado perguntando pelo meu amigo.
    Está tudo bem, não é?
    Um abraço.
    Isabel

    ResponderEliminar
  48. Então...
    Tuas palavras dizem muito, bom amigo!
    Beijinhos
    Ceiça

    ResponderEliminar
  49. inesgotável. a magia (das tuas) palavras.

    abraço

    ResponderEliminar
  50. ...realmente o emissor da luz é perene ...pelo menos se espera...a água ...gostei do seu otimismo vamos crer...as palavras ditas por dentro das palavras...requer compreensão e malícia. Amei seu poemeto que diz muito com poucas palavras.Perfeito!

    ResponderEliminar
  51. Assim nos mostra como é possível em tão poucas palavars passar uma tão bela mensagem. Obrigada.
    Lourdes

    ResponderEliminar
  52. _________________________________


    A luz também é transitória, como todo o resto...


    Beijos de luz e o meu carinho!

    _____________________________

    ResponderEliminar
  53. Estou colocando minha leitura em dia, aos poucos, aqui é sempre um espaço de boa leitura!
    abraço

    ResponderEliminar
  54. Enquanto existir a alma de nós as palavras vão brilhar ...

    Aos meus ensaios se faz favor.

    Abraço

    ResponderEliminar
  55. se desfaz, só quando a luz se desfizer-.
    Gostei.
    Sabes que amo a luz e a água.
    Sabes que por mais escuridão que venha sobre um estádio - por ex, o da Luz - onde uma simples vela sempre se vê...nunca a vela deixa de se ver?
    Gosto sempre de te ler.

    ResponderEliminar
  56. Viera Calado, você é o calado que tem algo a deizer, acho que nem a água se perdura, porque ela está em constante transformação.

    Um forte abraço.

    ResponderEliminar
  57. "Como palavras costuradas na espuma das ondas"
    Obrigada pelo comentário lá no Outrossim. Sigo conhecendo sua obra por aqui.
    Saudações poéticas de mais uma fã.

    ResponderEliminar
  58. Adorei muito reflexivo o poema, foi um prazer a sua visita ao Efeito Ambrosia, sinta-se a vontade para voltar novamente, Parabéns pelo seu magnifico trabalho! Sucesso!

    ResponderEliminar
  59. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  60. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar