,

,

cinepoema longo

clicar youtube para écran inteiro

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

PAZ

… para ver se alcanço
que minha alma durma, tenha paz, descanso (…)
Guerra Junqueiro (1850-1923)
.

Já viste um sonho a afastar-se para longe
do horizonte de teus olhos,
a alma da tua vida a despedaçar os últimos restos da luz?
 .
Quanto sentiste pela tempestade dum ovo
que se desfaz antes do primeiro raio de sol
ou uma velha árvore caída de borco sobre a terra
a um obstinado sopro do vento!?
 .
Onde procuras a paz para a tua alma
senão ouvindo ainda a música
da voz longínqua que embalou os teus verdes anos
no manso mar dum búzio colado ao teu ouvido?
 .
O teu descanso vem longe, quanto distante
é o minuto que esperas para vir outro minuto.
 .
Dorme ainda sobre o silêncio da terra e a voz do mar,
num cântico martirizado pelas esperas
mas que não morre,
enquanto a vida te der o eterno,
na vida.
.
Inédito. Vai para "Dicionário de Citações" (em preparação)