,

,

cinepoema longo

clicar youtube para écran inteiro

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

POEMA AO TEMPO

.....-----

O tempo são estas asas sem memória,

um pássaro morto. Folhas ao vento

que discorrem sobre um discurso raso,

uma reminiscência de sulcos na praia,

numa praia vazia, cheia de ecos do mar.

-

em "Por detrás das Palavras", ed Mic, 2002

.