,

,

cinepoema longo

clicar youtube para écran inteiro

sábado, 20 de junho de 2009

MEU CÉREBRO

-

Meu cérebro move-se a dois tempos:

o tempo raso das esperas,

das esferas paradas sobre um vidro

-

e o tempo dos éteres, dos vapores

que dão um frenesim à vida

-

uma esfera lisa

vítrea

que enrola no meu ser

os mil tempos da face duma roda.


em ARABESCOS, colecção Litoral, 2008, esg

segunda-feira, 15 de junho de 2009

POEMA À PLENITUDE

.

Para trilhar os caminhos que levam à plenitude

escolhem-se as veredas mais ímpias, sem flores

ou flores gastas pelo faro dos pássaros

.

porque a pura ciência dos rios se constrói

por entre as pedras escorregadias, lisas

das margens, não pela geografia das cores

o brilho intransigente das primaveras

-

2007