,

,

cinepoema longo

clicar youtube para écran inteiro

sábado, 4 de abril de 2009

TRÂNSITO

-

Madrugada.... canto puro

as árvores respiram o ópio da noite

o frio tépido do sol em transe

-

Crisálida.... insecto-tépido voa

voa nas folhas.... em transe a seiva

-

E há.... o.... a.... insecto em transe

no canto puro da seiva

-

À noite o ópio é puro

manhã vem cumprir

a lei das coisas

-

E nasce em transe

o fogo.... o fumo

-

de.... o.... a.... insecto eterno

em trânsito.

-

em "O FRIO DOS DIAS"

terça-feira, 31 de março de 2009

SONETO MODERNO

.

Sob a influência de variadas energias e vapores,

a cobra enrosca-se na árvore do fogo.

É um exercício adoçado pela música das nuvens

grandes espasmos de alegria sobre a terra.

.

Por ali passa a ebulição dos fluidos

actor de mil anos de efervescência

bailarino das areias consumado mestre

das intuições aprendidas desde a fonte.

.

Vão sobrar as cinzas e as memórias

duma constelação de viagens ao sol

também o frio imparável dum estio vindouro.

.

Mas esse é o destino das cores que empalidecem

quando nasce o dia e vem o vento violento

a varrer o chão onde vivem as pedras.


em "ITINERÁRIO", ed EDIUM, 2008