,

,

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

POEMA À 5ª SINFONIA DE BEETHOVEN

.
Beethoven #1

.......................................Ao Artur Neira

Foi da primeira vez
que ouvi o tam tam tam tam de Beethoven

era eu criança ainda nada
conhecia da pomba sob o cipreste

nem de dores de dentes nem da dor de Dante
muito menos da dor diante.

Foi como eu se fosse o estado puro
dum cristal que tinisse no interior duma redoma
de dentro para dentro de si próprio
de dentro para dentro do próprio cristal
da primeira vez que ouvi Beethoven
.
era eu criança ainda nada conhecia dos pátios de Granada
nem de ananases redondos do Vietnam,
só sabia um pouco do sabor do sol e do sal
que trinta anos mais tarde em Londres
descobri mediterrânico.

E no entanto
o sangue acendeu-se-me de pólvora
– uma catedral cheia de formigas
no sítio dito da habitação da alma,
os músculos retesaram-se-me como a um cro-magnon
meditando um búfalo em Altamira
.
e fiquei a vida inteira a imaginar um homem surdo
atulhado em raízes de liamba
a cheirar fumo pelos tímpanos dos olhos.

em Como um Relógio de Areia

55 comentários:

  1. Olá, amigo!
    Brilhante Poema! Ode a Beethoven e ao mesmo tempo, oportunidade de o amigo narrar em versos a própria vida (riquíssima trajetória: redoma pura/ Beethoven/Pátios de Granada/ Vietnã/ Londres - nascimentos, estudos, guerras e exílios, talvez). E demonstrar sua generosidade ao dedicar o lindíssimo poema a um dos seus amigos.
    Beijos e um Lindo Fim de Semana!
    Renata
    PS: Não pude atender ao seu pedido de amizade no Telelog, rejeitaram, não entendi? Mas já somos amigos :)

    ResponderEliminar
  2. Beethoven!!!
    Todas as vezes que o ouço, ainda hoje, é como se fosse a primeira vez:um arrebatamento de emoções, de força, de alegria e muita poesia! "Ora direis ouvir estrelas"...!
    Necessário ser poeta para expressar
    imagens e sentimentos tão inesperados e ao mesmo tempo tão
    familiares...!
    Abs

    ResponderEliminar
  3. É de facto bela, a sinfonia. E o seu poema também.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Quando somos crianças, o mundo aos nossos olhos parece-nos tão belo, tão igual para todos. Depois á medida que vamos dando os primeiros passos no conhecimento vêm as desilusões, as frustrações as dores. Afinal o mundo harmonioso não passava de um conto infantil.

    Beijinho

    carmo

    ResponderEliminar
  5. Maravilhosa descrição de um sentir causado pela música, por esse "tam tam tam tam" de Beethoven que tenho agora nos meus ouvidos.

    Obrigada!

    ResponderEliminar
  6. Poema forte de significado. Gostei muito.
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. a 5ª sinfonia de beethoven foi sempre umas prioridade na música clássica, nas minhas escolhas, agora há mias...
    lindo poema bem musicado numa pauta de luz!
    bom fim de semana
    beijnhos

    ResponderEliminar
  8. Aqui é um espaço de pura cultura.

    te desejo um ótimo final de semana...de luz e paz.


    Hugo

    ResponderEliminar
  9. A abundância de vida minga os minutos do tempo e entrava as viagens de sonho... como o vir aqui, extasiar-me nestes poemas!
    Seja muito feliz, amigão!

    ResponderEliminar
  10. Ah, Calado, que bom que dizes em poemas o que sentes tão intensamente!

    Abraço

    PAZ e LUZ

    ResponderEliminar
  11. Muito interessante como descreve o seu mundo de criança invadido e tendo sua redoma penetrada pelo tam tam tam tam. Não há quem o tenho ouvido uma vez e não saiba que tam tam tam é este. Não se esquece jamais. Seu poema nos fala disso lindamente.
    abraços

    ResponderEliminar
  12. Ou quem sabe nem dos ouvidos precisasse, porque a música nascia pronta de sua alma poeta...
    Lindo poema!
    Um abraço e ótimo final de semana

    ResponderEliminar
  13. ...

    estes poemas de simbioses de artes e memórias, e que culminam num retrato, seduzem-me.

    abraço.

    ResponderEliminar
  14. Dizer que seu poema é belo é repetir-me sempre. mas mesmo assim o digo. Caro poeta, eu sou um desastre, musicalmente falando. Não arrisco nem mesmo un là... e quando tinha meus filhos recém-nascidos queria niná-los com música, mas para não prejudicar seus delicados ouvidos, colocava música clássica. assim, na penunbra, o som baixinho eles adormeciam serenamente. Isot que fazia por instinto hoje os psicólogos dizem que é correto. Eu fazia porque amo Beethoven, Bach e outros. A música é a voz da alma. Pena que atualmente chamam de música alguma coisa que mais parece briga de gato no telhado.
    Ótimo final de semana.
    Abraço
    Angel

    ResponderEliminar
  15. Até a foto já mudou, há quanto tempo amigo, mas existem coisas muito importantes que devem ser cuidadas o resto fica por algum tempo para segundo plano, tudo voltará.
    Beijo
    Isabel

    ResponderEliminar
  16. Meu Amigo

    Quantas e quantas vezes desejo ter uns grãos de sal para temperar o mundo, dar sabor e cor à vida e aos acontecimentos e equilibrar as emoções dos seres.

    BELO O POEMA à 5ª Sinfonia de Beethoven!
    Parabéns.

    ResponderEliminar
  17. Conto-lhe um segredo:

    Inscrevi-me num concurso que desafiava os munícipes a participar numa colectânea intitulada “Poetas Nossos Munícipes”, publicada pela Câmara Municipal da Moita.
    Esta edição resultou de um desafio lançado pela autarquia, no início do ano, a todos os munícipes com mais de 14 anos com gosto pela poesia, para apresentarem os seus poemas.
    A "grande surpresa" foi um dos membros do júri, o escritor Alexandre Castanheira, ter escolhido um dos meus trabalhos para ler ali, publicamente, diante de um auditório com 150 pessoas.

    Convido-o a espreitar.
    Bom fim de semana.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  18. Vieira,


    Lindo! Parabéns!


    Grande abraço,
    Adriano Nunes.

    ResponderEliminar
  19. A arte de bem fazer! Abraço

    ResponderEliminar
  20. Sentimentos de fumo e fogo despoletados pelas vibrações do desconhecido.

    Bjs

    ResponderEliminar
  21. gostei muito do poema. musical. para ler em viva voz...

    abraços

    ResponderEliminar
  22. Uma chamada magnífica a Beethoven...

    Bjgrande do Lago

    ResponderEliminar
  23. :)... nao me vem nada a cabeca a nao ser um sorriso aos labios

    jokas
    Paula

    ResponderEliminar
  24. Beethoven e a musicalidade das suas palavras, um conjunto perfeito!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  25. Um excelente momento de poesia e cultura ao mesmo tempo que faz uma denúncia das atrocidades cometidas pelo homem em tantos recantos da terra.
    Um abraço e Bom Domingo.

    ResponderEliminar
  26. Nada como relembrar Beethoven... Belo poema!

    ResponderEliminar
  27. Não me lembro da primeira vez que ouvi Beethoven. Mas gostava que tivesse sido assim.
    Um abraço, amigo Vieira Calado.

    ResponderEliminar
  28. "... e fiquei a vida inteira a imaginar um homem surdo
    atulhado em raízes de liamba
    a cheirar fumo pelos tímpanos dos olhos."

    Não é por acaso que ouvir Beethoven nos toca tanto...

    Bela poesia...!


    Um resto de bom domingo e um beijinho *

    ResponderEliminar
  29. Ola Poeta!

    Foi esse ta ta ta ta que te inspirou para mais este lindo poema, eu gosto da 5ª sinfonia também, e ao ler-te e como se a estivesse a ouvir.

    Gostei imenso.

    Bjinho

    Céci

    ResponderEliminar
  30. Um poema que li embalado pelas notas de Beethoven e pela imagética forte das tuas palavras.

    ResponderEliminar
  31. Olá meu sumido amigo.
    A Sinfonia de Beethoven e seu poema são inspirador.
    Uma bela e inesquecível lembrança.
    Adorei...
    Um domingo de muita paz, amor e luz.
    Que seus dias possam ser sempre floridos e cercados de muito amor e paz.
    Beijinhos meu amigo querido.
    Regina Coeli.

    ResponderEliminar
  32. Passei para saber do "meu" livro, deixar-lhe um beijo com votos de uma boa semana.
    Graça

    ResponderEliminar
  33. Uma ode a beethovem e á poesia versos que ressoam em acordes vibrantes e ritmados



    Abraço

    ResponderEliminar
  34. " como eu se fosse o estado puro dum cristal" , maravilhoso poema Vieira Calado.
    E Beethoven como fundo musical.
    Meus abraços

    ResponderEliminar
  35. Diria melhor, meu caro poeta: que tal ler teus belos poemas ouvindo
    a música de Beethoven? Creio ser uma excelente composição!
    Abs

    ResponderEliminar
  36. Poeta... é uma honra a sua vinda ao meu album.
    É a "minha maneira de ver", porque nem "todos" vemos da mesma maneira.
    Tal como na poesia a interpretação, tanto de sentimentos como de imagens é diferente.
    Cada fotógrafo vê à sua maneira, aquilo que os seus olhos podem ver.
    Depende de sentimentos interiores... depende de estados de alma e de muito mais.
    Eu não tenho muito conhecimento de técnica, e o pouco que tenho não chega para dar emoção a uma imagem. Assim registo a emoção que sinto naquele momento. Umas vezes sai assim assim, outras fica bonitinho e aceitável para olhos complacentes.
    Obrigada a sua visita e uma boa semana.

    ResponderEliminar
  37. Lindo Poema
    Musica e poesia, nada mais é preciso.
    beijos
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  38. Grande sinfonia em palavras e em ritmo !

    Beijos

    ResponderEliminar
  39. Belíssimo, como sempre!

    Uma bela meditação sobre o tempo, numa sinfonia à Beethoven, passando por Dante.

    É realmente brilhante sua escrita poética!

    Parabéns, Vieira!

    Beijos

    Mirse

    ResponderEliminar
  40. Encerrei o feriado solene com Tam Tam Tam Tam,perfeito e magnífico.
    A força desta sinfonia também chegou em minha infãncia em uma casa antiga com um piano preto.
    Meu Deus,os pátios de Granada...incandescente,rubra vida que me levou por aquele rumo de Lorca.E,este homem surdo que ouvia com a alma,era sim um poeta sonoro.
    Como você.

    Beijos,

    Cris

    Aprecio muito tuas visitas no
    www.cristinasiqueira.blogspot.com

    ResponderEliminar
  41. Querido poeta
    Vim pedir-lhe permissão para conduzir este poema ao manual. Vou escoltar toda a beleza contida nesses versos e levá-lo são e salvo ao coração dos meus leitores. Posso publicá-lo?
    Bjs

    ResponderEliminar
  42. EU DIRIA... UMA CRIANÇA COM MUITA SENSIBILIDADE...FANTÁSTICO!!! É TÃO RARO...UMA CRIANÇA EXPLODIR AO ESCUTAR MÚSICA CLÁSSICA...

    BEIJOS

    ResponderEliminar
  43. Brilhante, é o que me apraz dizer.
    Dois génios com alma poética!
    Bjs

    ResponderEliminar
  44. e é tão bom esse estado puro de criança, melhor ainda despertar assim dessa forma estrondosa.

    Boa semana

    ResponderEliminar
  45. Fazer um poema á 5ª Sinfonia de Beethoven é algo deveras original! a sinfonia, já eu conhecia e adoro mas o poema essa está extraordinário!
    bjs

    ResponderEliminar
  46. Como o tam tam tam tem tanto poder
    para aqui uma criança vir nascer
    nos versos da poesia que se fez ser!

    um homem surdo que nasce para escutar
    tudo o que na terra o faz vibrar...

    beijos

    ResponderEliminar
  47. Olá Amigo,
    É fácil ler um poema seu, difícil é tirá-lo da cabeça.
    Parabéns,
    Dalinha

    ResponderEliminar
  48. Foi da primeira vez
    --------------
    Para tudo há uma primera vez.
    E sem a primeira vez, a segunda vez não consegue aparecer.
    -------------
    Um abraço.
    Manuel

    ResponderEliminar
  49. Fantástica esta poesia.

    Como fantástico ele era.

    bjitos

    ResponderEliminar
  50. Um poema muito inteligente, como já nos habituou, e dedicado a uma figura incontornável da música clássica que tanto aprecio, do meu modo musicalmente leigo, mas emocionalmente sincero. Parabéns.

    ResponderEliminar
  51. das descobertas e fantasias da infância... gostei do poema!

    abraço.

    ResponderEliminar
  52. Descobrir Beethoven na infância,
    desbravando a vida,
    na cultura que enche a alma,
    a 5ª Sinfonia fica esculpida
    para sempre no tempo das memórias vividas.
    Muito intenso e belo o seu poema, Poeta!
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  53. Beethoven
    em palavras.
    Belo!

    ResponderEliminar
  54. Admiro Bethoven, em suas composições e, fundamentalmente, em sua capacidade de superação.

    Belíssima homenagem unida ao relato de sua própria trajetória de vida, riquíssima em emoções, pelo que vi.

    Beijos.

    ResponderEliminar