,

,

sábado, 24 de abril de 2010

POEMA A UMA DEUSA TERRENA

Poemas de amor # 2
.

.
Que te cubram as folhas do plátano
quando a tarde esmaece nos jardins
a claridade gasta em fins de outubro.

Que sejas a mais solene a mais alta
nas lonjuras da abstracta serenidade
nas glórias do incenso na abnegação.

Que sejas a mais firme a mais ágil
nos desfiladeiros rudes da montanha
na transparência na nudez da água
na fortuna na mágoa alheia.

E que te cubram os mistérios até ao fim
na estrada por onde adoro o teu regaço:
a interior presença cintilante, encoberta,
das palavras que ressoam nos meus olhos.

52 comentários:

  1. Poeta, deixei-te outro daqueles desafios blóguicos no meu canto... Até amanhã!

    ResponderEliminar
  2. Que delícia de versos.
    Poesia me encanta e me eleva
    a alma sempre...
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderEliminar
  3. Lindo poema, Vieira!
    Vou agora conhecer o Mardock!
    Bjkas e bom domingo!

    ResponderEliminar
  4. Nunca economizei palavras ao expressar o que sinto e o que sinto por ti é amor. Amor do mais dígno e puro. A serenidade de tuas palavras, desperta em mim encantamento e fascínio. E é assim, como em um passe de mágica, que ganhaste o meu coração.
    Obrigada! Grata pela tua existência!

    Beijos no coração!!!

    ResponderEliminar
  5. "Que sejas a mais firme a mais ágil
    nos desfiladeiros rudes da montanha
    na transparência na nudez da água
    na fortuna na mágoa alheia"...

    Um Poema muito bonito! A Poesia me delicia e me acalma a alma...

    ResponderEliminar
  6. Vieira Calado

    Ando por aqui à procura de um belo poema seu, para colocar num post que vou fazer, juntando uma foto minha.
    Foi uma ideia que tive este ano, associar as minhas fotos a poemas ilustres e de pessoas bonitas de alma e coração.
    Espero que me permita fazê-lo. Assim que encontrar o que procuro na imensidão dos seus poemas, farei o post.

    Beijo e bom fds...com muito sol.

    ResponderEliminar
  7. Que feliz deusa terrena! 25 de Abril, SEMPRE.
    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Nunca serei capaz de escrever um soneto, mas conforta-me lê-los, tão perfeitos, Vieira.

    Para mais, por me parecer que é de liberdade que trataste.

    Um abraço, neste dia 25 de Abril.

    ResponderEliminar
  9. Um poema que me parece um canto Celta, um canto de amor, uma oração.
    Lindo. Beijo.

    ResponderEliminar
  10. Oi Vieira,

    Eu diria conciso e, ainda assim, intenso!! Belo poema.

    ***

    Seja sempre bem vindo, a qualquer hora sempre há um café a aguardar por um amigo, além de um papinho.

    Beijos,

    ResponderEliminar
  11. As poesias acalentam o coração, paz.

    ResponderEliminar
  12. Passando para ver as novidades e para desejar uma boa semana!
    Bjsssss!

    ResponderEliminar
  13. Existem diversas formas de amar e o amor que mais me encanta, acontece entre dois amigos, melhor dizendo, entre dois seres humanos. Esse tipo de amor, é puro e desinteressado, feito amor de criança. É verdadeiro e duradouro, porque é tão somente amor. Esse amor é como os anjos, não tem sexo. Isso me deixa em liberdade para dizer:

    Amo-te, amo-te, amo-te!!!

    ResponderEliminar
  14. Que beleza de poema! Estou aqui há bastante tempo, encantada com sua poesia. Abraço.

    ResponderEliminar
  15. A temposnão passava por aqui e vejo que continua com toda inspiração divina!

    ResponderEliminar
  16. Cintilante poema a beleza terrena...
    que teus olhos a vejam sempre assim
    e na água ou na montanha seja jardim!

    Um beijinho de mim

    ResponderEliminar
  17. vem, deusa terrena
    me faz maravilhas
    e te adorarei

    ResponderEliminar
  18. Quase uma oração e que assim seja, poeta.
    abraços e boa semana!

    ResponderEliminar
  19. «Que sejas a mais firme a mais ágil
    nos desfiladeiros rudes da montanha
    na transparência na nudez da água
    na fortuna na mágoa alheia.»

    Lindo este poema.
    parabéns
    Forte abraço
    Mer

    ResponderEliminar
  20. O telúrico prenhe de exuberância poética pela mestria de quem sabe da poda!...

    Parabéns, meu caro.

    ResponderEliminar
  21. Olá Vieira Calado, que mesmo nas lonjuras ela seja coberta de folhas de plátano, como em nudez de água o brilho da mágoa alheia...
    Lindos versos
    João Costa Filho

    ResponderEliminar
  22. "QUE TE CUBRAM OS MISTÉRIOS ATÉ AO FIM"

    Versos maravilhosos!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  23. Bom dia Mestre! Segui o seu conselho e...chorei.Dizem: o poeta só escreve imaginando...
    a maioria escreve o que sente o que vê. Muito obrigada e uma vénia por mais este maravilhoso poema.
    Um beijo amigo

    ResponderEliminar
  24. Essa terra será a que habita sob as aguas? abarços

    http://poesiafotocritica.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  25. uma linda deusa terrena, que tanto te faz sentir esta mágoa, num poema de encantar na sua leitura...
    beijinhos

    ResponderEliminar
  26. Poema lindo, digno de uma deusa, merecedora de palavras tão aveludadas.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  27. Belíssima poesia exaltada á Deusa terrena, que o teu poema seja lido por muitos e lhes toque o coração
    beijinhos

    ResponderEliminar
  28. E que o Sol resplandeça no rosto...este sol que nos abençoa e nos doura a pele!

    Como vai o meu amigo poeta? Feliz com a Primavera?

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  29. UM HINO À DEUSA TERRA? ELA FICARÁ ORGULHOSA POR ESSA ODE...

    BEIJINHOS POÉTICOS

    ResponderEliminar
  30. Fiquei sem palavras.

    Não sei se prece, ou se declaração.

    Sei que é uma dos mais belos poemas que já li!

    Parabéns, grande POETA!

    Beijos

    Mirse

    ResponderEliminar
  31. Poema de amor que venho buscar aqui
    pra começar o dia.Como um abraço.
    Obrigada .
    abraços

    ResponderEliminar
  32. Normalmente deixas-me sem palavras. É verdade.
    Muito belo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  33. Um poema muito inspirado.
    Também o sinto como uma oração.Eu direi Amen abençoado poeta.
    Grande abraço.
    Isabel

    ResponderEliminar
  34. Realmente se parece um poema de amor.
    =)

    ResponderEliminar
  35. A riqueza de um poeta é a serenidade e a lucidez como escreve.
    Grande beijo

    ResponderEliminar
  36. A deusa terrena deve ter adorado o poema...
    Beijos

    ResponderEliminar
  37. Uma bela forma de dedicar os versos sentindos atraves de um poema maravilhosamente descrito!
    Beijo terno

    ResponderEliminar
  38. Bravo! Belíssimo poema! Amei!
    Beijinhos
    Ceiça

    ResponderEliminar
  39. ___________________________________


    Muito lindo! Sente-se o pulsar do seu coração, em cada palavra do seu poema... Gosto disso! Poema, tem que ter muita emoção...


    Beijos de luz e o meu carinho!

    __________________________________

    ResponderEliminar
  40. Um poema luminoso, "algarvio" e quase fotográfico na imagem que dá da "deusa". Um excelente exercício, magnífico na forma.

    ResponderEliminar
  41. Palavras feitas lágrimas com um beleza transparente.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  42. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  43. Tudo Bem? agradável esta página parece bem desenvolvido.........boa:)
    Muito Bonito Continua deste modo !!

    ResponderEliminar
  44. Rs,rs,rs
    Hoje relendo as flores da primavera passada, vejo com mais intimidade as coisas e pessoas, ressentidas, enciumadas e até chateadas.

    Daria... pra ser a Deusa, ter um regaço que adoraste, ter palavras que enchesse teus olhos com amor... mas uma primaveraoutono e será primaveraverão e assim as estações seram sempre desencontradas, e o coração sofre... mas dou-me por satisfeita em amar como uma deusa de barro rachada no tempo das ilusões.

    ResponderEliminar
  45. envelope distante investido oscompreen engendra cera intriga recuperada desejavam pego

    ResponderEliminar