,

,

cinepoema longo

clicar youtube para écran inteiro

terça-feira, 15 de outubro de 2013

PARDALITO

Quanto, pardalito
comungas do meu tempo!

És meu irmão no espaço duma vida,
a minha e a tua vida,
no tempo que é o nosso.

Por isso somos irmãos irrepetíveis
no espaço do tempo
que o tempo dá às nossas vidas.

Por isso, irmão,
de todos os que vivem o espaço que é o nosso,
eu te pertenço como me pertences
e todos nos pertencem

porque a todos pertencemos
à terra ao céu e ao vento
do tempo e do espaço do tempo
irrepetível
que é nosso!


clicar youtube para écran inteiro
O poema que deu origem a este vídeo 
faz parte do meu mais recente livro "As Noites e os Dias".