,

,

cinepoema longo

clicar youtube para écran inteiro

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

CELEBRAR A CASA

 .
Nunca é demais celebrar a casa,

o lugar onde mitigamos as nossas memórias,
a nossa simplicidade nas esperas.
 .
É o lugar para soletrar segredos à nossa própria impiedade,
num desespero secreto, alheio aos rumores que vêm
do mais fundo das trevas
onde mergulhamos a cabeça vigilante.
 .
Partimos dela para as lonjuras, a cisma e a ficção,
a utopia de estóicos logros.
 .
E recomeçamos pela madrugada
a contar os dias lestos que definham
no ar parado dos mistérios duradoiros,
na roupagem do silêncio e do enlevo
pelo infinito dum beijo prometido
.
em "Causas de Habituação", a publicar