,

,

cinepoema longo

clicar youtube para écran inteiro

sexta-feira, 29 de julho de 2011

POEMA ÀQUELE SILÊNCIO

.
Inúteis as palavras voam
sob o verme escaldante da poeira
 .
que em fogo rebentam pelo vento
dos olhos do exorcista
na cidade.
 .
Tal o rosto do teu sossego
a notícia inscrita
em teu silêncio.
 .
E assim te quero
– liberto
no chão lavrado
da semente  –
 .
calmo   destroços
frágil pavio
ardendo sobre um mar
de frio.
em O FRIO DOS DIAS, esg