,

,

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O MÁRMORE

.

O mármore,

o escopro modelar

acariciando as formas ideadas -

.

a maternidade feita vida

numa pedra.

.

.

Sopro de helénicas

indústrias da perfeição

de olhar uma deusa nua

banhando-se

no Éden deste mundo!

.

.

Serena descrição do amor

.

ó grito abrindo a alma

para repensar a utopia

na pureza branca

duma pedra.

.

inédito

56 comentários:

  1. É incrível como de uma pedra fria e branga um artista cria algo que os olhos não cansam de olhar, é a arte.
    Agumas palavras arrumadas como estas suas, resoam na alma e é arte.
    Poema lindo.
    beijo

    ResponderEliminar
  2. e duma pedra se faz um poema...
    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. "a maternidade feita vida
    numa pedra."
    Belíssimo, amigo Calado!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  4. olá poeta,lindo! arudez e frieza desta pedra te aqueceu, percebe-se tua emoção.belo! pouco entendo de poemas, sei muito de emoção.este grito chama-se ;vida,não retenha.a pureza está nos olhos de quem ve.
    isso e sinal de vida reciclada,e inteligente viver assim.seja feliz. vc é muito amado.parabéns.

    ResponderEliminar
  5. o mármore faz verdadeiras obras de arte e os grandes escultores utilizam-no para todos os fins.
    O meu sonho era ter uma casa toda em mármore, apesar de ser uma casa fria fica linda e sólida, mas custa muito dinheiro, aliás já se fazem móveis em mármore são deslumbrastes.
    Mas o seu poema é uma verdadeira homenagem a esta pedra tão preciosa que temos em grande quantidade e que poucos a valorizam devidamente.
    Obrigada pelo seu bom gosto

    ResponderEliminar
  6. E dela saiu um belo poema.
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
  7. Vieira Calado...

    Antes de mais, agradeço o envio precioso dos seus livros. A contrapartida já foi enviada.

    Sobre este belo poema do mármore, digo:
    O mármore é para mim muito intímo:)(Sou empresário do meio.e, escultor de formação)
    Não é frio - é quente na forma como ele permite que a arte seja desenvolvida ao sabor do escultor..

    "No poema, "mármore" a arte da arte, molda-se na concha da mão, deslizando nos dedos a textura de quem se regozija ao sentir o "belo" na arte de bem fazer:)

    Abraço

    PjCondePaulino

    ResponderEliminar
  8. Tuas palavras:
    ..."de olhar uma deusa nua

    banhando-se

    no Éden deste mundo!

    Serena descrição do amor"

    Pois é, meu Amigo
    será que existe mesmo uma descrição para o amor?
    O que eu queria mesmo era o "amor" na minha vida, a descrição não interessa...
    O amor sim, faz muita falta!!!

    Porque "Amizade" na minha vida existe através de pessoas distantes, algumas nem as conheço, são da blogosfera.
    Melhor prova de Amizade que a sua...é difícil...encontrar:
    fazer a divulgação das minhas exposições, já fez da outra e agora desta.
    Estou eternamente grata.

    Um abraço apertado.

    ResponderEliminar
  9. Venho de uma família de marmoristas e escultores, Vieira. Sou fascinada pelo mármore. Achei lindíssimo teu poema.

    ResponderEliminar
  10. Caro amigo Vieira Calado;

    As pedras são de alma pura, dependendo das mão que as seguram...

    A minha avó sempre dizia;
    "Aos maus e loucos tiram-se lhe as pedras do caminho..."

    Bela poema, mesmo que me sujeite a levar uma pedrada... rsrsrs.

    Um abraço, caro amigo.

    Osvaldo

    ResponderEliminar
  11. A poesia tambem está numa pedra nua como está na arte de a trabalhar e ainda no olhar de todos os que sabem ver e amar a arte - escultura.

    ResponderEliminar
  12. Linda a comparação da maternidade saída dum escopro e martelo modelando e acariciando como mãe a sua obra de mármore...

    Lindo, lindo a ponte estabelecida. Cada obra do artista é sempre um filho que nasce e renasce e cria e recria.

    "O mármore,
    o escopro modelar
    acariciando as formas ideadas
    a maternidade feita vida
    numa pedra."

    Forte, abraço
    Mer

    ResponderEliminar
  13. Esculpir o amor, na pureza duma pedra, é dar-lhe vida... é esculpir a utopia na alma.

    Uma boa semana e um beijinho *

    ResponderEliminar
  14. O que é que lhe hei-de dizer? Que fez uma bela obra esculpindo letra a letra o poema...
    Um abraço e uma óptima semana

    ResponderEliminar
  15. Tambem das palavras esculpidas verso a verso se fez o poema,de mármore com vida


    Abraço

    ResponderEliminar
  16. E a pedra fria tansforma-se em algo quente...

    ResponderEliminar
  17. Inspirado e lindo este estatuário...
    Beijinho amigo

    ResponderEliminar
  18. Poeta é mesmo assim, faz brotar poesia de onde menos se espera...
    Parabéns!!!

    ResponderEliminar
  19. CARO POETA,TENHO UMA DUVIDA;QUEM TE INSPIROU FOI A PEDRA OU A DEUSA NUA,BEM QUE A DEUSA PODIA SER DE PEDRAS E NUA.DAS DUAS FORMAS DÃO BELAS. VC BRINCA COM AS PALAVRAS DE FORMA SUBLIME.PARABENS,
    LINDOPOEMA

    LINDA SUA DESCRIÇÃO DO AMOR!
    UM BEIJO.

    ResponderEliminar
  20. Prininho que lindo! Até da pedra você faz poema... ficou ótimo, genial.

    Bjsss querido.

    ResponderEliminar
  21. É mesmo uma serena descrição do amor!

    Continuação de boa semana.
    Bjs

    ResponderEliminar
  22. O que dizer mais??O seu poema é uma escultura feita com esmero... verso a verso...palavra a palavra...Assim com a mais perfeita tradução do sentimento despertado além da pedra...

    Abraços,Evoé!!!

    ResponderEliminar
  23. Gosto sempre da imagem lida não sei em que livro que diz que a deusa nua, neste caso, banhando-se, já estava banhando-se, nua, no ventre da pedra tosca. O escultor limitou-se a desbastar a pedra e a pôr a nú a deusa nua escondida. Gosto da imagem. Revela o olhar diferente que o artista tem para desnudar, revelar, mostrar. Aquilo que já existe. Escxondido! Um abraço, amigo.

    ResponderEliminar
  24. ...

    Serena descrição do amor...
    o grito abrindo a alma
    em dura pedra de bocas mudas
    ...mas de atentos olhos no éden das palavras

    sobre tudo as talhadas em mármore.

    [belíssimo...obrigada]

    (a)braços,flores,girassóis..:)

    ResponderEliminar
  25. Mesmo da pedra podemos tirar beleza e suavidade, tudo depende de como as olhamos, para o homem normal não passam de pedras, para o artista elas tem alma...
    um abraço

    ResponderEliminar
  26. Os poetas sentem a beleza.
    E,eis que,está onde menos se espera.
    A pedra mármore branco é o tom mais puro que a natureza nos oferece.
    Para variar,mais um lindo poema!
    Um beijo

    ResponderEliminar
  27. Todo o artista é mestre, sagrado ou profano, que sopra vida nas coisas mais inimagináveis!
    Abraço

    ResponderEliminar
  28. "ó grito abrindo a alma
    para repensar a utopia
    na pureza branca
    duma pedra."

    As miragens, muitas vezes somos nós que as criamos, na procura de um mundo melhor, de paz interior, de verdade, algo que não encontramos facilmente ao longo do nosso caminho...!

    ResponderEliminar
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  30. Esculpindo palavras na pureza branca da poesia.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  31. É caso para dizer:
    Debaixo duma pedra se levanta um belo poema!

    Resto de boa semana.

    Bjs
    Mariazita

    ResponderEliminar
  32. Muito bem ideliazada esta obra, Vieira. gostei. Um abraco

    ResponderEliminar
  33. O mármore é uma pedra bonita... modelado assim, fica virtuoso

    ResponderEliminar
  34. Desta pedra gelada mas bela, conseguiste dar calor a um poema.
    Será que também és escultor ?

    Beijinhos

    Verdinha

    ResponderEliminar
  35. Também o mármore é vida, se lhe dermos alma.

    Abraço

    ResponderEliminar
  36. Escultor de letras que transforma em palavras jamais de mármore, mas quentes de fogo.
    Lindo.
    Bj

    ResponderEliminar
  37. Só um poeta com seu cinzel transformaria o frio mármore
    Numa obra capaz de nos encantar os olhos.
    Parabéns caro poeta.
    Dalinha Catunda

    ResponderEliminar
  38. Toda a pedra tem dentro de si vida , que o escultor tem o mérito de descobrir .
    Neste caso foi um poeta a esculpir o mármore .
    E saiu um belo trabalho .

    Um beijo,

    Maria

    ResponderEliminar
  39. O mármore, pedra feita para modelar e acariciar até que se faça viva e eterna, "ó grito abrindo a alma".

    Abraço.

    ResponderEliminar
  40. Caro amigo, o mármore frio ganha aqui uma alma. Se a mão do escultor o modela, a sua poesia o torna vivo! Adorei!
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  41. Consegui postar hoje de madrugada em meio à correria das provas. Confesso que não gosto quando sou praticamente obrigada a me afastar do blog, porém não há como fugir neste momento. Motivo: além das provas na faculdade existem alguns probleminhas particulares. Espero resolvê-los o quanto antes e da melhor maneira possível. Prometo que tentarei arrumar um jeitinho de postar com a mesma freqüência já que não consigo ficar longe das letras. Algumas pessoas possuem meu e-mail podendo ficar totalmente à vontade em realizar contato. Tentarei respondê-los tão logo os receba.
    Com carinho e o devido respeito deste Outono.

    ResponderEliminar
  42. Estou de passagem apenas para desejar um bom fim de semana.

    Vou "viajar" no fim de semana, mas deixo programado um capítulo da Anita .
    Assim continuarei na companhia de todos :)))

    Fica bem.

    Beijinhos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  43. Linda e serena descrição do amor.Ah, os poetas sempre brincando e trabalhando as palavras a ficar incrivelmente belas,como mármore.
    Abraços Vieira Calado.

    ResponderEliminar
  44. ocorre-me o lugar comum - "poesia, respiração das estátuas".

    excelente qualidade literária. sempre.

    abraços

    ResponderEliminar
  45. Maravilhoso o poema...
    E que saia uma daquela estátuas que eu tanto gosto...amanheci visitando-te , tinha saudades.Jhs

    ResponderEliminar
  46. Belíssimo poema!

    Estou encantada com seu blog, com seus poemas e textos.Parabéns!

    Te sigo para melhor acompanhar-te.

    Beijos

    ResponderEliminar
  47. Poeta Vieira Calado!
    Que fabuloso poema!
    Ao ler cada palavra era como se estivesse a sentir a pedra branca a pulsar de vida nas mais diversas formas por si tão bem desenhadas.
    Lindíssimo.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  48. qual Pigmalião
    esculpindo o amor...

    lindo, Vieira Calado.

    _______

    e viajo... "através da luz"
    com um beijo

    ResponderEliminar